sábado, junho 09, 2012

Viagem a Budapeste - parte 2

Dia 3 foi dia de atravessar o rio e ir conhecer o lado de Buda, e veio a resposta à pergunta: não, não consegui subir até ao castelo no funicular, felizmente havia um caminho à volta, a totozice do dia foi descobrir que o autocarro 16 que vai para Buda... sobe até ao castelo, mas não sair antes do autocarro subir foi muito mais giro.

Um conselho: andar sempre com bilhetes de autocarro a mais, pois praticamente só há à venda em estações de metro e como o metro não chega a todo o lado, quando não há metro é difícil comprar bilhetes, claro que se pode sempre viajar à pala, mas desta vez isso não aconteceu.

- A vista sobre Peste:

- mais uma foto da praxe:


- A National Gallery, foi a segunda melhor experiência da viagem, lá dentro praticamente não há ninguém a visitar, o bilhete custa cerca de 4€, maioritariamente são pintores húngaros, mas valeu a pena a subida a pé :)


- E depois de sair da galeria... a minha máquina pifou, felizmente há aquela coisa chamada telemóveis que permitem apanhar estas vistas:


- Matthias Church, o maior flor, por fora não há indicações que a igreja está em obras e lá dentro... só se pode ver um altar, felizmente devido à minha forretice de pagar para entrar em igrejas, fiquei à porta :)


- Almoço no café Miró, decoração a rigor, uma das coisas que mais apreciei em Budapeste foi a comida, muito barata e muito boa, ao ver o menu em florins e se vê um prato a custar 2000/3000 florins, parece muito, mas no final da refeição, fazendo contas, fica muito em conta.


- O edifício mais imponente de Budapeste é o parlamento, onde há visitas guiadas em várias línguas, este foi o segundo flop da viagem... chegar lá e naquele dia encerrarem o parlamento a turistas... bah!!!


- Deu para ir apanhar o barco e ir até à ilha Margarida (que descobri depois que se pode ir de transportes porque há uma saída direta da ponte Margarida para a ilha (segundo bahhhh do dia):


- A chegada à ilha:


- Há quem aproveite para fazer praia:

- Na ilha:

- Alguém quer apanhar o bus?


- Ou reparar a bicicleta?

Na viagem de regresso, deu para... dormir no Danúbio. Depois de almoço, a apanhar sol no barco, com o embalo do rio e a voz da guia... tão bom! Eu nunca tinha dormido no Danúbio, já está riscado.

- E como era dia de pentecostes a sinagoga também estava fechada aos turistas, mais uma para a lista de sinagogas onde não consegui entrar, humf.


Na volta para Portugal, o sentimento de regressar a casa foi tão bom, e o facto de estar chover quando saí da Hungria também ajudou, home sweet home :)

0 comentários: