terça-feira, novembro 03, 2009

A viagem de volta

Para terminar a viagem na minha segunda cidade preferida, nada como passear no Terminal 4 do Aeroporto de Madrid Barajas, que além das lojinhas normais de aeroporto com chocolates, álcool e tabaco tem Mango e Zara.

Adoro descer as escadas rolantes e ver o anúncio a dizer "las tiendas del aeropuerto".



Na Mango não comprei nada, mas como a minha mãe diz que viagem sem comprar uns sapatinhos novos não é viagem (e uma pessoa tem de respeitar as mães) lá comprei mais uns sapatinhos de salto alto de 12 cm, desta vez cor-de-rosa (ainda estou a tentar ganhar coragem para os usar) na Zara (que aqui tem os sacos a condizer com as restantes lojas):



O problema de se viajar sozinha é que para aparecermos nas fotos temos de fazer estas figuras:



Ao chegar a Portugal, depois de estar duas semanas fora, o que é mesmo, mesmo, mesmo bom é apanhar um taxista mal educado que vai a ralhar com uma pessoa o caminho todo do aeroporto até à estação do Oriente por ter apanhado um táxi, como se:

1º) Eu tivesse culpa que a estação do Oriente fosse perto do aeroporto
2º) Eu tivesse culpa que não exista uma taxa para os táxis do aeroporto
3º) Eu não pagasse o serviço no fim

Fiquei tão, mas tão irritada, como se de noite, sozinha e carregada de malas tivesse muitas mais hipóteses.

Depois de tanto protesto deixo aqui os meus conselhos:

1 - Se não quiserem aturar taxistas mal educados que quase vos batem (estive a ver qual o momento em que ia ter que ir a pé o resto do caminho), podem ir apanhar um táxi às partidas (só descobri isto depois, se bem que penso que seja ilegal um táxi largar alguém e apanhar outra pessoa)

2 - Não deixem os carros num descampado que há entre o aeroporto e a estação do Oriente, pois um amigo deste senhor costuma passar lá a furar os pneus dos carros todos para se vingar.


Já apanhei táxis em Coimbra e no Porto em distâncias bem mais curtas e nunca ouvi protesto nenhum, só dá vontade de para a próxima ir para o Porto (mas o aeroporto fica tão longe, humf), enfim é o chamado "turismo de qualidade" (o nosso país no seu melhor).

Mas regressei sã e salva!

1 comentários:

disse...

O John também anda sempre em viagens e um taxista um dia teve a lata de fazer o trajecto mais longo do oriente ao aeroporto para levar-lhe mais. O John no seu portugues muito arranhado, disse k so pagava o normal pk ja tinha feito o trajecto varias vezes. o taxista comeu e calou... Enfim!