domingo, outubro 25, 2009

Domingo em Madrid

Nada como pôr o despertador para as 10h e acordar às 9h com o sol a entrar pela janela. Time to get up. Ontem à noite estava indecisa entre ir ao Reina Sofia (pela 4a vez, não pela terceira) ou ir visitar o Monasterio de las Descalzas Reales, onde nunca tinha ido.

Acabei por me levantar e por me lembrar de ter lido umas reportagem numa revista sobre o Mercado de San Miguel, foi pesquisar onde ficava e apanhar o metro.

Chego às puertas del Sol e foi ver um montão de gente na Calle Mayor todos à espera que passasse alguma coisa, pensei eu que religiosos como são que fosse alguma procissão ou coisa do género e lá fui para o mercado.

Bem, estava à espera da uma imitação da Boqueria (Barcelona) e sai me um mercado mais pequeno que o D. Pedro V em Coimbra!

Por fora, tem uma estrutura de ferro e vidro bastante típica do inicio do século XX:





Por dentro em algumas bancadas, muito chiques e tem gente às 11h da manhã a beber vinho, comer ostras, comer camarão, tapas, etc (ainda bem que já tinha feito a digestão do pequeno almoço). O que achei engraçado foi as abóboras (cabazas em Espanhol).





Se estiverem nas redondezas aconselho a espreitarem porque é perto e é engraçado para se visitar (apesar da dimensão reduzida).

Entretanto, como a visita por tão rápida decidi ir a pé até ao Museu Reina Sofia (também para aproveitar o facto de ser grátis aos Domingos :D )

Ao sair do mercado, deparo-me com o "cortejo" (isto sim foi estranho):





Bois, ovelhas, cavalos, tudo em pleno centro da cidade. Contou-me depois uma senhora numa pastelaria/chocolateira que isto começou a ser tradição, todos os anos os passam para relembrar o antigo caminho que era efectuado antes da urbanização ter sido efectuada (escusado será dizer que com tanto cavalo a passar, a pastelaria cheirava a tudo menos a chocolates).

Seguidamente, lá me fui encaminhado para o Reina Sofia, pelo meio passei pelo El Rastro (mas tinha tanta gente que passei por detrás das bancadas) e quando a certa altura me queria certificar da rua onde estava (como não contava ficar tanto tempo deixei o meu guia de Madrid em Coimbra), perguntar o caminho é algo muito complicado para o meu orgulho e dado o elevado cansaço provocado nos gémeos no dia anterior, vejo uma igreja e penso "entro lá, descanso e saco o mapa da mala" (eu que nem sou católica).

E o que aconteceu? Barracas de Kris! Entrei a meio da missa, com a igreja cheia e naquelas partes que todos rezam em voz alta e de pé, e lá tive eu que fingir que estava interessada e ficar de pé também (e depois quando abri a mala descobri que tinha deixado o mapa no hotel).

Uns km depois lá dei com o Reina Sofia (a onde volto a aconselhar entrarem pelas traseiras porque tem muito menos fila, principalmente quando é grátis):





Tem estes pisos todos mas hoje só fui mesmo visitar o 2 que tem a colecção permanente:



E tenho a dizer que fiquei escandalizada porque:

1º) Não só trocaram a numeração das salas, como mudaram os quadros de sítio, ou seja, eu que já sabia os números das salas e os quadros que queria ver, tive de ver as salas todas e alguns quadros nem dei com eles (o facto de agora a organização estar melhor, não interessa nada)

2º) Desde quando é que se podem tirar fotos dentro do museu? Não há coisa que me irrite mais, querem uma imagem do quadro saquem da net com melhor resolução! Querem pendurar na parede comprem um poster! Um museu é para se ir apreciar arte, quadros que vamos ver porque não podemos ter os originais em casa, para nos babarmos, para nos deliciarmos, para aprendermos, para sonharmos, não é para ir tirar fotos e irritar os outros visitantes com os flashes!

Bem, agora que já desabafei, lá continuei o passeio, adoro os elevadores panorâmicos do museu, e ao fim de 2 tentativas lá consegui ficar eu e a estação da Atocha na foto:



Entretanto fui novamente até ao Vips da Plaza Neptuno almoçar, e pelo meio do caminho, dou com estátuas da imitar as Meninas de Velasquez (a estas sim podem tirar fotos que estão lá para isso):



Depois de almoço fui novamente até à Gran Via:



E só para dizer que fiz o exame destes senhores aqui (Instituto Cervantes):



Depois fui finalmente H&M, onde tinha entrado no dia anterior para apreciar a arquitectura, mas desta vez para ver as roupas, não comprei nada, mas fiquei maravilhada, e pensei "é por isto que falam tanto das lojas", havia camisolas que só apetecia tocar de parecerem tão fofinhas.

Claro que com tanto passeio, às 16h arrumei as botas e voltei para o hotel. Estou podre! Amanhã mais aventuras se esperam, ou então não.


3 comentários:

Nightwalker disse...

Estou a ver que tens tido uns dias atarefados!!! Juizinho.

r i t a disse...

Eu acho que para a proxima vez que vieres a Madrid deves tirar umas fotos às *inúmeras* lojas que há da H&M e pôr um post mais elaborado sobre esta loja...porque o ppl que lê isto associa logo à H&M de Coimbra, essa magnifica loja, daí se calhar ninguém acreditar que de facto a H&M tem coisas muito muito giras!!!! :P

Kris disse...

pronto está bem Rita, da proxima pergunto aos seguranças se posso tirar fotos!!

Kris*