quinta-feira, fevereiro 26, 2009

Estereótipos


Quando imagino um chefe de cozinha, não sei porquê mas imagino um chef tipo Michel: careca, barrigudo, de cabelos brancos e com idade compreendida entre os 50 e os 60.

Ontem, fui jantar com a Té à Quinta de São Luiz em Pereira, ela estava curiosa para experimentar e eu, como não digo que não a um convite, lá fiz o "sacrificio".

A meio da refeição, o chef (sim, o chef em pessoa) veio-nos perguntar se estavamos a gostar (de destacar que se encontravam no restaurante nós as duas e um casal) e como era o chef?

Giro, simpático e tinha menos de 30 anos.

Senti-me melhor quando olhei para a Teresa e vi que não era só a minha cara que tinha corado.

Quando terminamos a sobremesa lá veio ele outra vez e estivemos a conversar, acabámos por descobrir que em casa era a mulher que cozinhava. E eu pergunto: de que serve casar com um chef de cozinha se depois ele só dá dicas para fazer o jantar ao fim-de-semana?

O salão tem um aspecto bastante romântico, recomendo para quem quiser um jantar diferente e alargar os cordões à bolsa, claro.

Ahhh, quanto à comida em si, o menu do chefe foi composto por creme de ervilhas com queijo não-sei-das-quantas, filetes de robalo com vegetais e chouriço e leite creme queimado. Tudo super bem apresentado e delicioso.

Além da comida, gostei do modo como fomos atendidas (até nos levaram os casacos e tudo), sem dúvida a repetir, mas quando houver novamente um menu em promoção.

0 comentários: